ENTREVISTAS


PRESERVAR A VEIA SAFENA MAGNA : TRABALHOS PUBLICADOS COMPROVAM ESTA TESE.

INÚMEROS Varicose vein surgery in lower limbs with preservation of the great saphenous vein

A veia safena magna aut¢loga ‚ o melhor substituto arterial nas revasculariza‡oes dos membros inferiores, importante na revasculariza‡ao do mioc rdio e pode ser utilizada nas cirurgias do sistema venoso e nos traumas das extremidades. A fleboextra‡ao aumenta os riscos de lesoes linf ticas e neurol¢gicas. Assim, no tratamento das varizes prim rias dos membros inferiores por meio da cirurgia ou de outras t‚cnicas, a preserva‡ao da safena ‚ recomend vel se ela for normal ou apresentar altera‡oes que ainda permitam sua preserva‡ao pela corre‡ao da causa desencadeante. Tal corre‡ao pode ser feita por t‚cnicas cir£rgicas. Entre elas, a cura hemodinƒmica da insuficiencia venosa em ambulat¢rio (CHIVA) tem mostrado bons resultados. Recentemente, um ensaio cl¡nico randomizado e controlado foi publicado comprovando sua efic cia. Outra t‚cnica bastante utilizada ‚ a da ligadura rasante da jun‡ao safenofemoralcrossectomia + ligadura das tribut rias
Entre n¢s, Luccas et al.7, ap¢s observarema VEIA SAFENA com o Doppler atrav‚s de t‚cnica por eles desenvolvida,indicaram a preserva‡ao nos pacientes com safena normal ou pouco alterada, REFLUXO POUCO SIGNIFICATIVO OU SAFENAS COM DIAMETROS MENORES QUE 8 mm EM SUA EXTENSAO Stehling encontrou essa altera‡ao em que tinham algum refluxo troncular, ou seja, o refluxo era ao n¡vel da crossa, por‚m, por incompetencia da valva subostial e nao da ostial. Tais autores submeteram 41 pacientes com esse tipo de altera‡ao a cirurgia, fazendo a ligadura e remo‡ao das tribut rias da crossa na maior extensao poss¡vel e tiveram bons resultados na maioria dos pacientes (92%), em seguimento de curto prazo (2 a 18 meses).
Para que as altera‡oes acima citadas se fazendo exclusivamente a retirada dos trajetos varicosos e ligadura das perfurantes. Obtiveram bons resultados (87,69%) a curto e m‚dio prazo (2 a 7 anos de seguimento)

Hammarsten e colaboradores realizaram um estudo randomizado e controlado, onde os pacientes, ap¢s serem avaliados por flebografia ascendente e descendente e pela pletismografia strain-gauge, foram operados. Logo ap¢s, foram sorteados para safenectomia ou preserva‡ao da Veia Safena Magna. Em ambos os grupos, foram feitas retiradas dos trajetos varicosos e ligadura de todas as perfurantes insuficientes. Os pacientes foram reavaliados ap¢s 4 a 5 anos, atrav‚s do exame cl¡nico, pletismografia strain-gauge e pelo MDC. A maioria dos pacientes teve boa evolu‡ao cl¡nica, a ocorrencia de recidivas foi igual nos 2 grupos e a pletismografia voltou a valores normais. Nao houve diferen‡a estat¡stica entre os dois grupos. No grupo em que a Veia Safena Magna foi preservada, 78% delas estavam adequadas para serem utilizadas como pontes para o cora‡ao ou para salvar pernas.

 

Voltar