Vascular News

Pé diabético: tratamento e sintomas

O pé diabético é uma das piores e mais graves complicações do diabetes, cuja doença acomete mais de 13 milhões de brasileiros e requer cuidados especiais.


Hoje falaremos de um assunto muito importante e que acomete mais de 13 milhões de pessoas diabéticas no nosso país: o pé diabético. O Brasil está entre os cinco países do mundo com o maior número de habitantes, portadores desta complicada doença.


O pé diabético é uma das complicações mais graves para quem sofre com a doença. Dados estimam que 10 a 20% dos pacientes diabéticos são portadores de úlceras nos membros inferiores.


Essa é só mais uma das comorbidades, já que pessoas com diabetes também podem ter deficiência na visão, em função da doença da retina nos olhos. Essas pessoas também correm maior facilidade de infecção, podem apresentar deformidades nos ossos e articulações, e problemas renais e cardíacos.


Diabéticos podem ser portadores de inflamações e ter comprometimento dos nervos das pernas, que causam deficiência na sensação de dor e formigamentos em virtude da destruição da capa que recobre e protege o nervo periférico. Por isso é mais fácil que sofram ferimentos nos pés e muitas vezes nem percebam.


Sintomas do pé diabético

Os sintomas mais frequentes são:

  • Desaparecimento ou diminuição dos reflexos do tendão, das rótulas e do calcanhar;

  • Diminuição na sensibilidade de temperatura e dor;

  • Mau cheiro exalado pela úlcera;

  • Mal perfurante plantar, ou seja, valos na planta do pé que dificilmente cicatrizam

Apesar de parecerem ferimentos corriqueiros e sem importância, essas lesões podem levar a amputações de dedos, pé e até da perna.


É preciso reiterar que infecções progridem mais rapidamente em pessoas diabéticas, o que faz com que ao menor sinal de lesão o tratamento seja iniciado para minimizar o risco de amputações, já que gangrenas de dedos podem evoluir rapidamente para pé e perna.


Cuidados importantes que todo paciente diabético deve ter:

  • Controlar a glicemia;

  • Tratar qualquer pequeno trauma com atenção redobrada;

  • Lavar os pés e dedos diariamente e secar cuidadosamente, principalmente entre os dedos. Recomenda-se secar com secador de cabelo em temperaturas morna ou fria;

  • Examinar os pés diariamente à procura de lesões como cortes, bolhas, calos. Olhe sempre entre os dedos. Se não conseguir fazer essa inspeção sozinho, peça ajuda;

  • Tome muito cuidado com as micoses, que podem ser porta de entrada para infecções;

  • Nunca utilize bolsa de água quente ou compressas quentes nos pés. Se sentir frio, agasalhe-os com cobertores ou meias de lã não muito apertadas;

  • Use sapatos confortáveis, de tamanho adequado, não apertado. Cuidado especial com sapatos novos;

  • Não utilize sapatos sem meias;

  • Não utilize fita adesiva, esparadrapo ou qualquer outra no pé;

  • Não use sandálias com tiras entre os dedos;

  • Evite andar descalço mesmo dentro de casa e tome muito cuidado com pedras, parafusos, pregos, vidro ou qualquer peça pequena que possa machucar;

  • Não corte as unhas, lixar é a melhor opção

  • O diabetes é uma doença silenciosa e traiçoeira, por isso é preciso ter bastante atenção e adiantar-se a ela. Conheça os sintomas mais frequentes:

  • Muita fome ou sede

  • Urina em demasia

  • Emagrecimento ou ganho de peso repentino

  • Fadiga

  • Mudanças de humor

Realize sempre o acompanhamento médico e monitore seus exames para ter de fato o controle e não se tornar um paciente diabético.


E se tiver pequenas úlceras nos pés, pernas ou planta do pé, não descuide ou menospreze. Procure imediatamente um médico. Sua saúde vale muito.

Home

Clínicas

Unidade Itapeva

Rua Itapeva 240 - Bela Vista

São Paulo - SP - 01332-000

Unidade Tatuapé

Av. Celso Garcia 3884 cj 12

São Paulo - SP - 03064-000

Central de
Atendimento

11 3253-3034/3266-4652 (Itapeva)

11 2295-3970/2294-1897 (Tatuapé)

  • Whatsapp
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • email

Se preferir preencha o formulário abaixo e em breve entraremos em contato

© 2019 por Dr. Jorge Kalil. Desenvolvimento Obla Digital