Vascular News

Varizes de membros inferiores ou insuficiência venosa crônica

O que são as varizes?

A função das veias é transportar o sangue de retorno ao coração. Em uma veia varicosa, ou seja, as populares varizes, esta atividade fica prejudicada, uma vez que a veia dilatada não consegue conduzir o sangue na velocidade necessária. Essa redução no fluxo sanguíneo causa estagnação do sangue neste segmento.

As varizes já eram conhecidas e citadas desde antes de Cristo, tendo sido documentadas no Egito, no Papiro de Ebers em 1550 a.C e por Hipócrates em 460 a.C.

Quais são as causas das varizes?

São mais comuns nas mulheres do que nos homens devido aos hormônios progesterona e estrógeno em maiores níveis no sexo feminino.

As principais causas das varizes são:

  • Hereditariedade: O fator familiar e hereditário é um dos mais importantes, uma vez que a genética pode ter um papel na propensão às varizes;

  • Idade: Apesar de poderem ocorrer da puberdade até os 70 anos de idade, a maior frequência está entre mulheres de 30 a 50 anos.

  • Gestações: É o maior fator causador de varizes. Quanto maior o número de gestações, maior a probabilidade de desenvolvê-las. E as varizes preexistentes à gravidez tender a piorar muito, portanto é interessante tratá-las antes de pensar em engravidar;

  • Obesidade: É um fator desencadeante, porque há dificuldade de retorno do sangue;

  • Postura no Trabalho: É polêmico, mas observamos que as pessoas que permanecem muito tempo em pé ou sentadas, apresentam maiores riscos de desenvolverem varizes;

  • Etnia: Observa-se menor incidência na população negra; possivelmente por uma maior quantidade de tecido elástico na parede venosa propicia a esses grupos étnicos;

  • Anticoncepcionais e Reposição Hormonal: O uso prolongado de progesterona sintética pode elevar a tendência às varizes

  • Saltos altos: Como esse tipo de sapato faz com que o músculo da panturrilha trabalhe menos, a circulação fica prejudicada.

Quais são os sintomas das varizes?

Os mais frequentes são:

  • Desconforto estético;

  • Dor e sensação de peso nas pernas;

  • Cansaço, principalmente ao fim do dia;

  • Câimbras e formigamento;

  • Inchaço.

Alguns sintomas menos frequentes incluem:

  • Manchas marrons irreversíveis;

  • Manchas roxas.

As varizes podem levar a complicações mais sérias?

Com certeza! Conheça algumas delas:

  • Eczemas: inflamação caracterizada por vermelhidão, coceiras ou lesões com vesículas que se tornam escamosas, crostas ou secretam líquidos;

  • Hiperpigmentações: Manchas escuras, marrons, irreversíveis. Também conhecidas como dermatite ocre.

  • Hemorragias: Sangramentos que são decorrentes da rotura das veias que se encontravam com a parede fina. Há risco de ocorrer durante o sono ou depois de uma batida no local ou até mesmo espontaneamente.

  • Úlceras: conhecidas como úlcera varicosa, geralmente são acompanhadas de infecção, são malcheirosas e limitam a convivência social do paciente.

  • Tromboses: Podem ser superficiais (menor gravidade) ou profundas (maior gravidade). A trombose venosa pode evoluir para embolia pulmonar, que é a mais temida complicação da trombose.

Como é realizado o diagnóstico das varizes?

O diagnóstico é realizado principalmente mediante minucioso e cuidadoso exame clínico realizado no consultório, sempre com a paciente em pé. O exame de Ultrassom Doppler ou Duplex Scan deve ser realizado quando houver dúvidas, porém essas são ferramentas auxiliares ao exame clínico.


Como é feito o tratamento das varizes?

O tratamento das varizes deve ser iniciado precocemente, ao surgirem os primeiros sintomas. O uso de remédios é paliativo e combater sintomas, não elimina ou previne as varizes.


A utilização de meias elásticas melhora os sintomas e previne que se proliferem. Porém devem ser utilizadas durante o dia e não para dormir.


A escleroterapia (secagem de vasos) é realizada no consultório, sem nenhuma restrição após as sessões. Na maioria das vezes é indolor, pois conta com o uso de anestésicos locais, não há restrição ao sol nem ao trabalho. Pode-se realizar atividades físicas no dia seguinte à aplicação.


Já a intervenção cirúrgica é minimamente invasiva, com agulhas, sem cortes, sem pontos na maioria dos casos e na maioria das operações sem a retirada da veia safena.


Qual é a importância da veia safena magna?

A veia safena magna é a maior veia do corpo humano e a melhor para ser utilizada como substituta em cirurgias cardiovasculares, como as pontes de safena no coração e nos membros inferiores.

Em casos de lesões de artérias dos membros inferiores, a veia safena pode ser utilizada na maioria das vezes. Em casos de isquemia do coração, como nos infartos do miocárdio e em pacientes que necessitam revascularização, existem alternativas: os stents, que são molas metálicas, as artérias mamárias e radiais e a veia safena.

Por estas razões, a safena deve seguir rigorosas seleções para serem retiradas nas cirurgias de varizes dos membros inferiores. Alguns estudos realizados no Brasil e no exterior, sugerem que a safena somente deve ser retirada quando seu diâmetro ultrapassar oito milímetros e/ou existirem grandes refluxos.

A cirurgia a laser das varizes, assim como a radiofrequência, na maioria das vezes inutiliza a safena. Estes tratamentos têm indicações restritas e devem ser analisados como exceção e não como regra.

Também deve ser estudada a possibilidade de se realizar a retirada da veia segmentar, ou seja, preservar o máximo possível esta importante veia do membro inferior.


Quando é feito o tratamento das varizes primárias dos membros inferiores por meio da cirurgia ou de outros procedimentos, a preservação da veia safena é recomendável sempre que possível, ou seja, se estiver normal ou com alterações que ainda permitam a sua recuperação pela correção ou eliminação da causa de sua disfunção. Vários estudos nacionais e internacionais demonstram que a retirada de varizes pode melhorar muito a função de uma safena parcialmente comprometida. Inúmeros trabalhos publicados sustentam essa tese.

Preservar a veia safena é muito importante. Para nós, retirar a veia safena é exceção e não regra. Hoje a literatura é farta ao demonstrar que preservar a safena torna a cirurgia de menor porte e a recuperação mais breve. A cirurgia de varizes com a retirada da safena deve ser realizada apenas e tão somente após rigorosos critérios de seleção.

Tratamento de varizes a laser

Para as microvarizes e varizes as melhores opções de tratamento são a microcirurgia e/ou cirurgia convencional, que consiste em extrair os vasos dilatados. A radiofrequencia ou laser podem ser alternativas usadas apenas para retirar a veia safena. Frequentemente, ao propor uma técnica de tratamento, que não seja laser, o paciente questiona o médico sobre sua decisão.


O laser não deve ser usado para todos os casos de varizes. De acordo com artigos médicos, tanto pela eficácia quanto pelo preço, o laser pode ser a quarta alternativa de tratamento, superado pelas cirurgias, pela escleroterapia e pela radiofreqüência.

Home

Clínicas

Unidade Itapeva

Rua Itapeva 240 - Bela Vista

São Paulo - SP - 01332-000

Unidade Tatuapé

Av. Celso Garcia 3884 cj 12

São Paulo - SP - 03064-000

Central de
Atendimento

11 3253-3034/3266-4652 (Itapeva)

11 2295-3970/2294-1897 (Tatuapé)

  • Whatsapp
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • email

Se preferir preencha o formulário abaixo e em breve entraremos em contato

© 2019 por Dr. Jorge Kalil. Desenvolvimento Obla Digital